Nietzsche e Jesus: dois extremos que se tocam?

14 de fevereiro de 2008

Todo crente é de certo modo um ateu, pois a afirmação da sua crença implica quase sempre a negação de outras crenças e deuses; mais claramente: para ser cristão, é preciso negar ou ignorar o islã, o judaísmo, o budismo, o hinduísmo, a umbanda, o panteísmo, o zoroastrismo etc.; e vice-versa; ou seja, para acreditar em Javé, por exemplo, é preciso desacreditar outros deuses com a mesma autoridade ou dignidade: Zeus, Apolo, Amon, Crom, Thor, Odin, Baal, Alá, Shiva, Brahma, Vishnu, Ogum, Ísis, Iansã, Jaci e outros tantos. Por isso, o “meu Deus” e a “minha religião“ excluem a crença, o deus e a religião dos outros, pois só a “minha fé” e o “meu Deus” são verdadeiros; tudo mais é falso. Afinal, a crença, a religião e o deus dos outros não passam de superstições, crendices, coisas diabólicas etc;

Dizer que só existe um deus, o “meu Deus”, é tão insensato quanto dizer que só existe um idioma, o “meu idioma”, um país, o “meu país” etc., como se só “eu” existisse;

Somos cristãos pelas mesmas razões que somos brasileiros e não franceses ou italianos e, pois, falamos português e não francês ou italiano: somos herdeiros da colonização e toda tradição de lutas, conquistas e violências que nos precedeu, isto é, uma história de extermínio de povos, culturas, mitos, línguas, religiões e deuses. Trata-se, portanto, de algo acidental: se fôssemos colonizados pelos chineses, seríamos budistas e falaríamos chinês ou mandarim; se fôssemos colonizados pelos árabes, seríamos muçulmanos e falaríamos árabe. O deus ou deuses de hoje são a mitologia e as fábulas de amanhã;

Toda doutrina, política, moral ou religiosa que pressupõe ou propõe unidade é falsa, tirânica, má e contrária à natureza e à vida, pois a vida, e tudo a que se refere, é múltipla, plural, diversa e em permanente mutação; é preciso presunção, ingenuidade e intolerância para crer assim;

Em geral toda forma de violência tem algum bom pretexto ou uma bela e sonora metáfora; em nome de Deus, por exemplo, foram cometidas as mais terríveis violências: a noite de São Bartolomeu, o extermínio dos cátaros (ou albigenses), as cruzadas, a inquisição, os massacres patrocinados por Moisés (Êxodo, 32: 27 e 28) ou Josué (6:21) e seus atuais seguidores: Bin Laden, Bush, entre outros; Deus e o diabo são inocentes, mas não quem os invoca;

O cristianismo (o islã etc.) depende do pecado e do pecador tal qual os presídios, de presos, os cemitérios, de cadáveres, os senhores, de escravos; o cristianismo (re) inventou o pecador (e o pecado) não para libertá-lo, mas para escravizá-lo (a expressão “servo de deus” não existe por acaso) e manipulá-lo; enfraquecê-lo, portanto; pior: pretende ser a cura da doença por ele criada: o pecado;

Crer em Deus significa crer naqueles que se dizem conhecê-lo ou representá-lo; logo, submeter-se à vontade de Deus significa submeter-se à vontade daqueles que se dizem representá-lo;

Se cães e gatos pudessem representar seus deuses, certamente os representariam na forma de cães e gatos, e com variações: um pastor na forma de pastor etc. (Xenófanes, revisto); também assim são os homens, que criam seus deuses à sua imagem e semelhança, os quais variam no tempo e no espaço, inevitavelmente;

De acordo com um crente, todos, à exceção daqueles que compartilham de sua fé, estão no pecado e vão para o inferno ou algo assim; há hoje tantas denominações (algumas autênticas empresas comerciais) e doutrinas tão díspares e contraditórias (uma nova Babel) que já não temos certeza se o cristianismo é uma religião monoteísta e se ainda se venera o Cristo ou o dinheiro;

Se Deus fosse julgado por um tribunal isento, seria fácil acusá-lo e difícil absolvê-lo, porque, ou bem seria condenado por omissão: deixar que toda sorte de injustiças, crimes e desastres aconteçam sem nada fazer, embora pudesse fazê-lo e evitá-lo; ou bem seria condenado por ação: se Ele é onipotente, onipresente e onisciente, que tudo sabe, tudo pode e tudo vê, então, todas as violências e crimes são obra sua, e os homens são apenas instrumentos de sua obra, boa ou má; afinal, os homens atuariam segundo a sua fria e calculada programação, tal qual a morte de seu próprio filho: um homicídio doloso e premeditado;

Erros, decepções, traições, doenças e mortes, por mais que nos causem dor e sofrimento, são inevitáveis e são, pois, a própria vida; tal qual os animais e plantas, nascemos, crescemos, adoecemos e morremos inevitavelmente; como os frutos de uma árvore, que precisam amadurecer, cair, apodrecer e soltar suas sementes para que outras árvores e frutos germinem e frutifiquem, assim também são os homens: nascemos para a morte e morremos para a vida (Heráclito). Convém, por isso, enfrentar a vida, e tudo de bom e ruim que ela implica, com dignidade, galhardia e humor inclusive;

Um Deus que quisesse ser adorado e não apenas temido jamais nos tentaria ou corromperia com promessas de recompensa (céu, vida eterna etc.) nem nos chantagearia com ameaças de morte, inferno etc.; nem tampouco incentivaria a subserviência, e, pois, a dissimulação, nem condenaria a crítica e a rebeldia necessárias; um Deus assim não precisaria de servos, nem estes Dele;

Eu só acreditaria num Deus que não fosse tirânico, ciumento, mesquinho, injusto, cruel, vingativo, misógino, homofóbico, racista. Eu só acreditaria num Deus que fosse grande e justo e maduro e sábio o bastante para saber amar as pessoas como elas realmente são e não como Ele gostaria que elas fossem; eu só acreditaria num Deus capaz de perceber o que há de grande e pequeno e divino em cada um de nós para além de todo preconceito; um Deus, enfim, que tratasse judeus e palestinos, crentes e ateus, homens e mulheres, hétero e homossexuais, prostitutas e criminosos com a mesma dignidade, com o mesmo respeito; afinal, ainda que tenhamos o dom de profetizar e conheçamos todos os mistérios e toda a ciência, ainda que tenhamos tamanha fé, a ponto de transportar os montes, se não tivermos amor, nada seremos (Coríntios 1: 13);

A distinção entre os atos bons e maus, entre os atos de deus e do demônio, e, portanto, a distinção entre deuses e demônios, não preexiste à interpretação, mas é dela resultado;

Jesus tinha razão: o reino de Deus – e também do demônio, pois são o verso e reverso de uma mesma moeda, tal qual alto e baixo, direita e esquerda, bem e mal, motivo pelo qual um não existe sem o outro – está dentro de nós (Lucas, 17:21); Nietzsche também: não existem fenômenos religiosos, mas apenas uma interpretação religiosa dos fenômenos!

Número de Visitas 1351

51 Comentários

  1. Preclaro amigo e professor, um singelo comentário para aquecer o debate.

    “O Diabo é pecador “desde o princípio” (1Jo 3,8), “pai da mentira” (Jo 8,44).§393 – É o caráter irrevogável de sua opção, e não uma deficiência da infinita misericórdia divina, que faz com que o pecado dos anjos não possa ser perdoado. “Não existe arrependimento para eles depois da queda, como não existe para os homens após a morte.” (S. João Damasceno; De fide orthodoxa. 2,4)”

    Em outras palavras, o homem se coloca no lugar de Deus, com as conseqüências daí decorrentes.
    Desta forma, as amarguras que o mundo viveu e ainda vive, em nada se contrapõem à onipotência, onipresença e onisciência de Deus, uma vez que foi o próprio Deus que concedeu à criatura, o livre arbítrio. O exemplo de Deus é deveras humilde. Sendo tudo, podendo tudo, inclusive ser tirano, concedeu-nos o livre-arbítrio. Paradoxalmente a todo Seu poder, nos suplica: Siga-me!
    Portanto, as injustiças e desigualdades deste mundo não podem ser atribuídas a Deus e sim aos próprios homens que têm Dele se afastado, por sua própria vontade.
    Provai e vede, como o Senhor é bom!
    Deus ama a todas as criaturas – que nascem santas – exatamente como são. Encontra-se pronto a perdoar inclusive toda soberba dos homens, a todo tempo. “ O céu faz festa quando uma ovelha desgarrada retorna à casa do Pai”, como proclamado na parábola do filho pródigo.
    “Todo homem tem dentro de si um vazio do tamanho de Deus”! (Dostoievski).

  2. Prezado Doutor , é de grande relevância comentar sobre este assunto.

    DEUS ( PAI ), JESUS CRISTO ( FILHO ), E O ESPÍRITO SANTO – TRINDADE SANTA

    Camilla Calmon de Morais Cerqueira, Pedagoga – Pós Graduada em Gestão Ambiental

    Crente é aquele que crer em Deus e segue a bíblia. O Deus referido é único,o seu nome é Jeová, o qual enviou o seu filho Jesus Cristo aqui na terra para morrer pelos nossos pecados.Antes que o Servo, o Messias ( Jesus ), nascesse, Deus já o havia escolhido para transmitir ao mundo a luz do evangelho, a mensagem da salvação ( ver At 13.47 ).Cristo ofereceu salvação a todas as nações, e os seus apóstolos iniciaram o movimento missionário de levar a sua Palavra até os confins da terra.Hoje, o trabalho missionário dá continuidade à Grande Comissão de Jesus ( Mt 28.18-20 ), levando a luz do evangelho a todas as
    nações.

    No mundo há várias crenças e falsos deuses, porém, o verdadeiro é “vivo”, criou o universo, não há outro com tamanho poder. Ele é brasileiro, americano, africano, enfim, onipresente, e todos podem alcançá-lo.A maioria daqueles que buscam estão passando ou passaram por alguma dificuldade na vida, seja no casamento, na família…Quem não busca por amor, busca pela dor.O poder divino restaura qualquer vida, basta não apenas crer, mas andar no caminho do bem. Se tu não creres nisso, tem dúvidas e quer sentir a presença do Senhor, se arrependa dos teus pecados, entrega a tua vida a ele e siga as orientações da bíblia que o Espírito Santo trabalhará em prol de toda a sua família. Continua não crendo? Vá a uma igreja evangélica e ouça os testemunhos das pessoas que aceitaram Jesus; verá relatos emocionantes, coisas “ impossíveis “ para nós, acontecendo: curas, revelações e outras que a ciência não explica.

    De acordo com a bíblia, devemos procurar conhecer o que Deus está fazendo no coração das pessoas. O pecado, o medo, a incerteza, a indecisão e outros problemas travam uma contínua guerra contra nós.A paz de Deus se move em nossos corações e bloqueia essas influências hostis, oferecendo-nos conforto em lugar de conflito.Jesus diz que nos dá essa paz se quisermos aceitá-la!( Lucas, 17: 20,21 ).

    Entretanto, a bíblia diz que: sabedoria é uma palavra importante para sobreviver em um mundo descrente, onde grande parte do povo é hostil ao cristianismo, podemos demonstrar sabedoria ao respeitarmos o que é bom e verdadeiro e humildemente nos posicionarmos contra o que é errado.

    Contudo, o nome de Deus, ás vezes, é usado para cometer atrocidades; essas pessoas são chamadas de “ falsos profetas ”….” vêm até vós vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores “ ( Mt 7,15 ). Na nossa história houve acontecimentos bárbaros que o homem cometeu usando a igreja como algo ameaçador. Quando alguém decide seguir o caminho do mal, não será bem sucedido.” Por seus frutos os conhecereis.Porventura, colhem-se uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? ( Mt 7.16 ). Justiça é uma palavra séria perante Deus. Há uma passagem na bíblia, Josué ( 6:21 ), onde Deus mandou os israelitas destruir quase tudo e todos em Jericó. Ele faz justiça conforme a gravidade.

    Conforme dito acima, Ele executava um julgamento severo contra a maldade dos cananeus. Este julgamento, ou proibição, normalmente exigia que tudo fosse destruído ( Dt 12: 2,3; 13:12-18 ).Por causa de suas práticas malignas e intensa idolatria, os cananeus eram grandes inimigos de Deus. Assim como há a justiça terrestre, há a espiritual ( divina ). Quando um indivíduo comete um crime, obviamente será condenado pelo que fez; o juiz irá aplicar-lhe uma pena conforme o crime. Da mesma forma acontece com um ímpio ( pecador ), ele será condenado conforme a justiça divina.

    Segundo a bíblia, como um pai amoroso, Deus nos ensina e nos guia. Devemos ouvi-lo porque a paz e a justiça nos alcançam quando obedecemos à sua Palavra. A desobediência aos mandamentos leva-nos ao castigo e ameaça a paz e a justiça ( cap. 48: 17,18 ). Muitos clamam por conforto, segurança e alívio; todavia, não tomaram as primeiras medidas para afastar-se do pecado e dar lugar a Deus. Não se arrependeram nem confiaram nele. Se você deseja a verdadeira paz, deve buscar a Deus em primeiro lugar. Então, ele lhe concederá a paz.

    A vida material é passageira, a qual nos interessa é a espiritual ( vida eterna ), para alcançá-la precisamos aceitar Jesus e seguir os seus mandamentos. Diante do contexto da bíblia, os fariseus perguntaram a Jesus quando o reino de Deus viria, não sabendo que já havia chegado. O Reino de Deus não é como um reino terreno, geográfica e politicamente limitado. Começa com o trabalho do Espírito de Deus na vida e nos relacionamentos das pessoas. Assim, devemos evitar olhar para instituições ou programas em busca de evidências do progresso do Reino de Deus!

    Todavia, não tenho receio, quando insultada por minha fé, porque Deus está comigo, e a verdade prevalecerá. Se as pessoas não gostarem do que escrevi, ou mesmo zombarem de minha fé em Deus, creio que elas não estão pessoalmente contra mim, mas contra Deus. O próprio Deus se encarregará delas.
    Dedico esse texto ao meu grande Pai quem me expirou ( Deus ).

  3. Toda religião é formada a partir de adpatações e colagens de outras religiões; são, portanto, plágios ou fraudes grosseiras. Apesar disso, a crítica contra Deus não prova que Ele não existe; mas que o dizemos sobre Ele é absolutamente equivocado ou falso. Enfim: Deus seria incognoscível ao homem, motivo pelo qual absolutamente nada sabemos a seu respeito. Reconheço, porém, que isso também é um simples argumento para nos salvar de um certo ateismo radical. Na dúvida sobre Ele (ou Eles?), prefiro desconfiar das religiões, todas elas, sem, no entanto, desacreditar, seguindo um certo agnosticismo.

  4. 33. Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, comoe da ciência de Deus! Quão impenetráveis são os seus juízos e inexploráveis os seus caminhos!
    34. Quem pode compreender o pensamento do Senhor? Quem jamais foi o seu conselheiro?
    35. Quem lhe deu primeiro, para que lhe seja retribuído?
    36. Dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele a glória por toda a eternidade! Amém.(Romanos 11:33-36)
    e para quem gosta de ler: http://www.monergismo.com/textos/apologetica/hermisten_Deus_nietzsche.pdf

  5. O que mais me impresiona nos crentes é absoluta falta de senso crítico; limitam-se sempre a repetir, como papagaios, trechos do bíblica, do alcorão etc. Quanta ingenuidade!

  6. Luis não compreendeu bem que o ele diz a respeito de serem as religiões adaptações etc. se aplica à cultura de um modo geral; nem por isso dizemos que a lingua, a arte, a música etc. sejam fraudes…embora haja casos de plágio

  7. Está Escrito em I Corintios cap1, ver 18;31.

    Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem(morrem); mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos inteligentes.Onde está o sábio? Onde está o escriba?Onde está o inquiridor deste século?Porventura, não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação. Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus e loucura para os gregos.Mas, para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo,poder de Deus e sabedoria de Deus. Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.Porque vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos sábios segundo a carne nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados,mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias;e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes e Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis e as que não são para aniquilar as que são;para que nenhuma carne se glorie perante Ele.Mas vóis sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção; para que, como está escrito:aquele que se gloria, glorie-se no Senhor.

    Está escrito: I Coríntios cap2, ver,9,10,11,12,13,14,15,16

    Mas,como está escrito:as coisas que o olho não viu,e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que o amam.Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito;Por que o Espírito penetra todas as coisasm, ainda as profundezas de Deus.Porque qual dos homens sabem as coisas do homem,senão o espírito do homem,que nele está?Assim também ninguém sabem as coisas de Deus senão o Espírito de Deus,mas nós não recebemos o espírito do mundo,mas o Espírito que provém de Deus para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus.As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana,mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais.
    Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus,porque lhe parece loucura;e não pode entende-las, porque elas se dicernem espiritualmente,mas o que é espiritual dicerne bem tudo, e ele de ninguém é dicernido.Porque quem conheceu a mente do Senhor para que posssa instruí-lo?Mas nós temos a mente de Cristo.

    Está escrito: João cap15, ver22

    Se eu não viera, nem lhes ouvera falado, não teriam pecado, mas agora, não têm desculpa do seu pecado.

    Está escrito: João cap8,ver 31,32

    Jesus dizia, pois aos judeus que criam nele:Se vós permanecedes na minha palavra, verdadeiramente, sereis meus discípulos. E conhecerei as verdades e a verdade vos libertará.

    Precisamos compreender uma coisa, Deus não depende de nós para nada,pois Ele é auto-suficiente e nós somos auto-dependentes de Deus.Porque Ele sem nós é Deus, e nós sem Ele não somos nada,pois Ele é, e sempre será o Deus onipotente, onisciente, e onipresente, quer eu acredite ou não, Ele é Deus!Porque a minha posição diante de Deus ou da sua palavra não pode muda-lo,pois Ele é um Deus imutável.
    Amém!
    Que Deus te abençoe!Em nome de Jesus!

  8. 6:17 Por isso, querendo Deus mostrar mais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento; para que por duas coisas imutaveis,nas quais é impossivel que DEUS minta,tenhamos a firme consolaçao,nos ,os que pomos o nosso refugio em reter a esperenaça proposta; a qual temos como ancora da alma segura e firme que penetra até o interior do véu,onde JESUS ,NOSSO PRECURSOR,entrou por nos,foi feito eternamente sumo sacerdote,segundo a ordem Melquisedeque.
    HEBREUS CAP 6:17 A 20

    HEBREUS 6:17

  9. A imutabilidade de Deus é Sua “constância” ou o fato dEle ser “sempre-o-mesmo”. Deus é absolutamente perfeito e não pode mudar para melhor, nem mudar para pior. Embora tudo mais esteja em estado de constante mudança, Deus permanece o mesmo para sempre e sempre.

    I. Deus é imutável em Sua essência.

    A. Êxodo 3:14
    B. Salmos 102:25-27
    C. Malaquias 3:6
    D. Romanos 1:23
    E. Hebreus 1:10-12
    F. Tiago 1:17

    II. Deus é imutável em Sua vontade.

    A. Números 23:19
    B. I Samuel 15:29
    C. Jó 23:13
    D. Salmos 33:11
    E. Provérbios 19:21
    F. Isaías 46:9-10
    G. Romanos 11:29
    H. Hebreus 6:17

    III. Deus é imutável em Seus atributos.

    A. Ele é imutável em Seu amor (Jeremias 31:3; João 13:1).
    B. Ele é imutável em Suas promessas (I Reis 8:56; Romanos 4:20-21; II Coríntios 1:20).
    C. Ele é imutável em Sua justiça (Gênesis 18:25; Jó 8:3; Romanos 2:2).
    D. Ele é imutável em Sua misericórdia (Êxodo 34:6-7; Salmos. 100:5; 103:17; 107:1; Lamentações 3:22-23).
    E. Ele é imutável em Sua verdade (Salmos 119:89; Romanos 3:3-4; II Timóteo 2:13; Tito 1:2).
    F. Ele é imutável em Sua santidade (Jó 34:10; Tiago 1:13).
    G. Ele é imutável em Seu conhecimento (Isaías 40:13-14,27-28).
    H. Ele é imutável em Sua glória (Salmos 104:31).

    Aqueles versos que ensinam que ‘Deus se arrependeu’ (Gênesis 6:6-7; Êxodo 32:14; I Samuel 15:11,35; Salmos 106:45; Jeremias 18:7-11; etc.) devem ser entendidos como significando que Deus mudou de um curso de ação dentro do Seu plano eterno para outro curso de ação dentro do mesmo plano eterno. Eles não devem ser tomados como significando que Deus subitamente mudou Seu plano baseado numa mudança de circunstâncias. Qualquer e todas as circunstâncias que possam se levantar, são elas mesmas uma parte do plano eterno de Deus, e Ele é, no final das contas, o responsável por trazê-las à existência.

  10. “Eu sou o Deus Todo-Poderoso…”.

    Gênesis 17.1.

    A IMUTABILIDADE DE DEUS

    O outro atributo de Deus que precisamos contemplar é a Sua Imutabilidade. A Sua Santidade, fez com que Ele vivesse inteiramente separado para nós. A Sua Imutabilidade, faz com que as suas promessas permaneçam firmes, trazendo assim a nós segurança e esperança: “Assim que, querendo Deus mostrar mais abundantemente aos herdeiros da promessa a imutabilidade do seu conselho, se interpôs com juramento; para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos poderosa consolação, nós os que nos refugiamos em lançar mão da esperança proposta; a qual temos como âncora segura e firme, e que penetra até o interior do véu” Hebreus 6.17-19.

    A imutabilidade de Deus, também nos revela o seu caráter estável. Deus não muda e não tem sombra de variação. Como o homem não tem conhecimento de Deus, também faz de Deus um ser temperamental como ele, cheio de imprevistos, indecisões, injustiças e infidelidades, considerando que Deus pode ser imprevisível também. Mas este é o homem, e não o Deus único, verdadeiro e imutável: “Estas coisas tens feito, e eu me calei; pensavas que era tal como tu, mas eu te argüirei, e as porei por ordem diante dos teus olhos” Salmos 50.21.

    Se Deus mudasse, as suas promessas cairiam por terra, e Ele passaria a ser um mentiroso: “Deus não é homem para que minta; nem filho do homem para que se arrependa. Porventura, tendo Ele dito não o fará? Ou havendo falado, não o cumprirá?” Números 23.19. Se Deus mudasse, Ele nunca poderia ser juiz e legislador. Por ser Deus Imutável, a Sua justiça é uma justiça eterna, e a Sua lei a verdade. A Sua Palavra é a verdade desde o princípio, e cada uma das suas justas ordenanças dura para sempre (Salmos 119.142,160).

    A nossa segurança só pode estar firmada, quando cremos que Deus é imutável. Ele não muda; Ele é o mesmo ontem, hoje, e o será eternamente (Hebreus 13.8). Sendo Deus imutável, Ele não volta atrás em nenhuma das suas promessa: “Pois tantas quantas forem as promessas de Deus, está nEle o sim; portanto é por Ele o amém, para glória de Deus por nosso intermédio” II Coríntios 1.20. “Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento” Romanos 11.29. Encontramos na Palavra, uma infinidade de textos que mostram esta imutabilidade de Deus, que para nós redunda em muitas bênçãos.

    Se Deus mudasse, ou tivesse qualquer sombra de variação, seja por uma ira momentânea ou por qualquer outro motivo, não poderíamos estar seguros das suas promessas, nem daquilo que já temos recebido dEle. Também não poderíamos ter esperança, pois, o que para nós está guardado por promessa futura, poderia se acabar com uma simples mudança no temperamento de Deus. A imutabilidade de Deus faz com que Ele não mude as suas promessas, e isto nos traz esperança. Ele é Santo, Soberano, Justo, Misericordioso, Benigno, e etc…, e continuara sendo por toda a eternidade, pois, Ele não muda.

    Os homens sempre mudaram, mas Deus sempre permaneceu imutável: “Torno a trazer isso à mente, portanto tenho esperança. A benignidade do Senhor jamais acaba, as suas misericórdias não tem fim; renovam-se a cada manhã. Grande é a tua fidelidade. A minha porção é o Senhor, diz a minha alma; portanto esperarei nEle” Lamentações 3.22-24. Neste versículo, vemos alguém que conhecia a Deus, e podia então esperar por Ele. Os homens mudam, mas Ele é imutável, porque não pode negar-se a si mesmo: “Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo” II Timóteo 2.13.

    É por causa dessa imutabilidade, que nós homens, não somos consumidos por Ele. Em Malaquias 3.6, o próprio Deus confirma isto quando diz: “Pois eu, o Senhor, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos”. Deus não muda como podemos ver, nem suas leis mudam, porque tudo que Deus faz durará eternamente, nada se lhe pode acrescentar, e nada se lhe pode tirar: “Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar; e isto faz Deus para que haja temor diante dele” Eclesiastes 3.14. Quão maravilhoso é este Deus imutável. Pense nisto, medite nisto de dia e de noite. Fazendo isto nunca jamais tropeçareis, e farás prosperar o teu caminho e serás bem sucedido.

    A Sua Imutabilidade também tem um outro lado que não podemos deixar de lembrar. Devemos considerar a bondade e a severidade de Deus. Deus não muda e por causa disso, também fará cair a sua indignação, ira e vingança contra os seus inimigos e contra os seus adversários, sobre os pecadores e a todos aqueles que amam e praticam a mentira: “Pois do céu é revelada a ira de Deus contra toda a impiedade e injustiça dos homens que detém a verdade em injustiça” Romanos 1.18. Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo: “Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte” Apocalipse 21.8.

    Para os seus santos, a imutabilidade de Deus é uma benção, mas para os ímpios é algo terrível. Tudo o que Deus disse desde Adão, é verdade até o dia de hoje e o será até o dia do juízo. Se Deus mudasse, os ímpios poderiam falar como Jó, e tentar fazer com que Deus mude o seu juízo. Deus não muda, por isso respondeu a Jó e a todos que não crêem, dizendo: “Farás tu vão o meu juízo, ou me condenarás para te justificares a ti?” Jó 40.8. Se Deus mudar, Ele terá que fazer vão todo o seu juízo. Ele não pode mudar, e ainda bem que Ele não muda, senão teríamos que começar tudo de novo: “Quem operou e fez isto, chamando as gerações desde o princípio? Eu, o Senhor, que sou o primeiro, e que com os últimos sou o mesmo” Isaías 41.4.

    Que maravilhoso é este Deus Imutável. Podemos descansar nosso coração porque não haverá nEle mudanças, nem uma pequena sombra de variação. Como Ele é Santo, e amoroso, e misericordioso, e benigno, e carinhoso conosco hoje, e severo também, o será eternamente. Bem-aventurado é aquele que confia no Senhor, porque nunca será confundido. Demos graças ao nosso Deus, pois somente Ele é digno de todo o louvor. O Senhor será bendito entre o seu povo eternamente. Amém.

  11. Interessante é essa discussão sobre a a suposta imputabilidade de Deus. Mas, veja, Sr. Joelson, supondo que o Sr. realmente acredite na imutabilidade de Deus (digo isso porque acho que Sr. pode estar mentindo para si mesmo e tentando convencer a si mesmo quanto à existência de Deus, como fazem a maioria dos crentes), é então lógico e correto concluir que tudo que Deus (do novo e velho testemento) disse continua valendo até hoje e continuará valendo para sempre. E a Bíblia é a expressão fiel da palavra de Deus, estou certo?
    Bem, então se eu estiver correto, também continua valendo ainda hoje, já que a palavra de Deus é imputável, porque Deus é imutável, as seguintes coisas (colhi do site Ateus.net):
    a. Quando eu queimo um touro no altar como sacrifício, eu sei que isso cria um odor agradável para o Senhor (Levíticos 1:9). O problema são os meus vizinhos. Eles reclamam que o odor não é agradável para eles. Devo matá-los por heresia?

    b. Eu gostaria de vender minha filha como escrava, como é permitido em Êxodo 21:7. Na época atual, qual você acha que seria um preço justo por ela?

    c. Eu sei que não é permitido ter contato com uma mulher enquanto ela está em seu período de impureza menstrual (Levíticos 15:19-24). O problema é: como eu digo isso a ela? Eu tenho tentado, mas a maioria das mulheres toma isso como ofensa.

    d. Levíticos 25:44 afirma que eu posso possuir escravos, tanto homens quanto mulheres, se eles forem comprados de nações vizinhas. Um amigo meu diz que isso se aplica a mexicanos, mas não a canadenses. Você pode esclarecer isso? Por que eu não posso possuir canadenses?

    e. Eu tenho um vizinho que insiste em trabalhar aos sábados. Êxodo 35:2 claramente afirma que ele deve ser morto. Eu sou moralmente obrigado a matá-lo mesmo?

    f. Um amigo meu acha que mesmo que comer moluscos seja uma abominação (Levíticos 11:10), é uma abominação menor que a homossexualidade. Eu não concordo. Você pode esclarecer esse ponto?

    g. Levíticos 21:20 afirma que eu não posso me aproximar do altar de Deus se eu tiver algum defeito na visão. Eu admito que uso óculos para ler. A minha visão tem mesmo que ser 100%, ou pode-se dar um jeitinho?

    h. A maioria dos meus amigos homens apara a barba, inclusive o cabelo das têmporas, mesmo que isso seja expressamente proibido em Levíticos 19:27. Como eles devem morrer?

    i. Eu sei que tocar a pele de um porco morto me faz impuro (Levíticos 11:6-8), mas eu posso jogar futebol americano se usar luvas? (as bolas de futebol americano são feitas com pele de porco).

    j. Meu tio tem uma fazenda. Ele viola Levíticos 19:19 plantando dois tipos diferentes de vegetais no mesmo campo. Sua esposa também viola Levíticos 19:19 porque usa roupas feitas de dois tipos diferentes de tecido (algodão e poliéster). Ele também tende a xingar e blasfemar muito. É realmente necessário que eu chame toda a cidade para apedrejá-los (Levíticos 24:10-16)? Nós não poderíamos simplesmente queimá-los em uma cerimônia privada, como deve ser feito com as pessoas que mantêm relações sexuais com seus sogros (Levíticos 20:14)?

    Eu sei que você estudou essas coisas a fundo, então estou confiante que possa ajudar. Obrigado novamente por nos lembrar que a palavra de Deus é eterna e imutável. Seu discípulo e fã ardoroso.”

  12. Quando eu vejo esses ateus mostrarem as asinhas eu só lamento o fim da inquisição; vocês ateus, seus impios, não perdem por esperar. Logo chegará o juízo final e eu vou rir da cara de vocês queimando no fogo do inferno. Amém!

  13. Ai, Raimundo, que meda!!!!!!!! Na sua igreja não ensinam compaixão, amar a todos e tals…. Aí, vem vc falar que vai ir da nossa cara qndo entivermos queimando!!!!!!! Credo, a gente não acredita em deus, mas pelo menos não somos sadicos e nem vingativos. Se eu ver um crente queimando eu irei ajudá-lo. Espero a mesma ajuda de qq ser humano, pelo amor de deus, né? rsrsrs

  14. Que ser salva? então renuncie a esses ideias ímpias e aceite a Deus, e seus pecados serão perdoados e vc poderá vir para o céu com os justos, como eu e outros, que crêem.

  15. O texto é realmente bem interessante porque geralmente os “crentes” fogem desse tipo de discussão ou, se entram, o discurso é sempre o mesmo: “a minha verdade é questionável”. Só que às vezes precisamos de textos ou idéias assim para repensar certas coisas, certos exageros e fanatismos, e para vermos que a imagem que temos passado para as outras pessoas é totalmente diferente daquilo que deveria ser. Não vou entrar muito em questões de ideologias e crenças, porque o professor Paulo sabe que sou a “moça evangélica” do semestre passado. E, ao contrário do que ele acha quando diz que “todo cristão é de certo modo um ateu”, eu já acho que todo ateu é de certo modo um crente. Ao afirmar que Deus não existe, os ateus se fazem Deuses, pois apenas um deus pode dizer que não há outro deus (falando de religiões monoteístas). E há muitas outra questões – como a da crueldade e tirania de Deus – das quais eu discordo do texto por acreditar que sejam meras interpretações erradas ou distorcidas da Bíblia. Mas creio que isso é um assunto para discutir em outro momento.

  16. Isso virou um discurso evangélico, não aguentei ler tudo, minhas desculpas se eu repetir algo que alguém já escreveu.
    Professor Paulo Queiroz discordo em partes do seu texto, a não crença em um deus(a – ausência, theós – deus), não significa a descrença em uma religião, que significa somente acreditar em algo divino, sobrenatural, que para mim significaria a crença apenas em algo maior do que si mesmo, a família, a justiça, o amor, valores…
    Uma vez, conversando com o prof. Queiroz, ele afirmou que considerava deus necessário, que se algumas pessoas precisavam de deus para serem felizes e para justificarem uma ética, que bom, mas ele não precisava, digo o mesmo.
    Alguém citou por ai, que Deus não precisa de nós para nada, pois ele é auto-suficiente, porém nós precisamos dele, pois somos auto-dependentes. Para mim, é tudo ao contrário, o que seria de um deus, sem crentes, sem a própria religião, ele sim precisa de nós para existir, porém nós, você pode chegar para mim e dizer que não sou um nada, mas qual seria a diferença entre mim e você na existência devido a minha falta de crença?
    Outra pessoa citou que deus é imutável, ‘somente quem muda pertence ao meu mundo'(Nietzsche). Aonde está a perfeição de deus, se somos sua imagem e semelhança, aonde está a perfeição de deus se dentro dele, assim como está todo o bom, está todo o mal, todo o amor, todo o ódio,… Tudo o que exite está dentro dele, assim como tudo o que não deveria existir.
    E depois dessa declaração do Raimundo Neves, acho que ele vai queimar junto.
    Sou pessimista, ou realista, assim como Schopenhauer, concordo que otimismo desonra o homem e o enfraquece, o convence de que não há nada a se combater, e tudo é justificável, necessário e legítimo, o mesmo o faz esse deus.
    Não acredito em deus, mas sou religioso, mesmo que minha religião seja somente minha.
    Termino como Schopenhauer, o mundo seria melhor sem os homens, assim como para mim é melhor sem um deus.

  17. Lendo os comentários ao texto do prof. Paulo Queiroz cheguei a uma singela conclusão, e digo singela pois não tenho o conhecimento que todos aqui demonstraram ter. Arrisco dizer que talvez, tenha sido a intenção eminente penalista ao colocar tal tema em pauta.

    Antes de mais nada deixo uma ressalva. Existem muitos esquecidos que condenam a igreja evangélica por julgarem ser a mesma uma “fábrica de dinheiro” impiedosa, e digo impiedosa pois geralmente o dinheirinho, dito de dízimo, é advindo do suor de gente humilde. Entretanto, não se deve olvidar que a Igreja Católica, pelo que consta na história, foi, na Idade Média, a precursora dessa lamentável prática. Àqueles que pegam o dinheiro dos crentes, relembro que a Revlução liderada por Luthero foi justamente no sentido de irresignar-se contra isto.

    Enfim, a conclusão retromencionada:

    A demasiada inquietação nos comentários daqueles que freqüentam a igreja evangélica só reforça a tese preconizada: A INTOLERÂNCIA com as demais crenças. O que incomoda nos crentes, a mim e a muitos, é acharem que as lições e os ensinamentos por eles espalhados são os verdadeiros, sob uma insegura justificativa de ser “a palavra de Deus”. Não me atrevo a dizer que são ou não são certas, mas me atrevo a perguntar: palavra de qual Deus?! Afinal, Deus para japoneses é o BUDA, deus para o islã é Maomé.

    Mas não é só.

    Existem muitos fundamentos veementes que afirmam sobre a existência do Deus do Cristianismo. Ao revés, o cristianismo não (nunca vi pelo menos) tem nenhuma explicação consistente para afirmar, como de fato afirma, que os outros Deuses não existem. Quiçá possa existir, mas com certeza o supedâneo da explicação é a palavra do Deus do cristianismo. Não há como chegar a nenhuma conclusão senão a de que os crentes não aceitam viver com outros deuses que não seja o deles.

    Chegar a uma conclusão diferente desta é ignorar a história de outras culturas. Será que um japonês nunca se sentiu sob o pálio da proteção de BUDA?! é muito egoísmo pensar assim.

    Qualquer comentário no sentido de dizer que Jesus permeou o mundo inteiro para passar os ensinamentos do Deus do Cristianismo é, prima facie, atestar seu insucesso, afinal tenho certeza que um índio em sua aldeia no meio da Amazônia nem imagina da existência de Jesus, mas por outro lado, tem a crença no seu DEUS.

    Neste sentido pode-se dizer que o índio, caso seja criatura do Deus do cristianismo, detentor do talante alhures preconizado caso escolha outro Deus como seu baluarte (como de fato escolherá, pela sua criação) irá merecer ser condenado pelos moldes do cristianismo. Não!! Pensar de outro forma é ignorar o caráter de ser humano do índio (ou seja lá de quem for). E por mais que incomode, aceitar a escolha do outro é aceitar outros Deuses.

    Veja portanto não há como condenar um ser humano pela sua crença. Há sim que condenar aqueles em nome do seu Deus matam outras pessoas por acreditarem em outro Deus, ou simplesmente, pertubam incansavelmente aqueles que não querem acreditar no que vocês, pertubadores, acreditam. Vocês têm que pagar por isto, seja lá como for.

    Aplausos ao professor Paulo Queiroz, que mostrou o que sempre sustentou, ser contra “ficar parado”, aceitar coisas que estão erradas de braços cruzados. Assumo minha fé em um Deus muito maior do que dito aqui, um Deus que não é poderoso, que não é bom nem mau, mas que é um excelente ouvinte e torcedor do sucesso de quem nele acredita, somente.

  18. Dr. Paulo Queiróz,

    O brilhantismo com que abordaste a temática, como um tiro que sai pela culátra, conduziu a discussões nada producentes, a exemplo das manifestações dos ilustres Paulo Muller, Raimundo Neves, Mariana e Pedro Magalhães, entre outros, que personificaram a intolerância e o escárnio, e, juntamente com os demais manifestantes, todos, demontraram o quanto somos imaturos para enfretarmos, de modo equilibrado, as questões relativas a DEUS (a quem desejo sempre servir) e a religiosidade das pessoas (aliás,essa, certamente, foi a grande contribuição do texto em debate).
    Assumindo o risco de sermos igualmente imaturo, asseveramos que ao festejar o respeito às diferenças, às diversidades culturais e às crenças, sem, no entanto considerar que a fé, ou a falta de fé, é (preciosidade) pessoal e é gerada a partir de experiências (igualmente pessoais), sejam na esfera material ou transcendental, é incorrer na maior das iniquidades: a hipocrisia.

  19. Prof. Paulo Queiroz,

    Dizem que uma “discussão” somente fica boa quando se obtem a crítica…, que a critica é uma forma de manifestação da preocupação com o teor da discussão e coisa e tal…
    Pois bem, na verdade não pretendo tecer criticas, mas concordar com o vosso pensamento, exaltando a sua inteligência e coragem, respectivamente.
    Num certo ponto a vossa opinião me foi bastante útil, pois pude ver que não sou a única pessoa do mundo que pensa e reflete sobre esse assunto.
    Devo admitir, no entanto, que convosco concordo parcialmente e peço vênia para acrescentar mais uma forma diferente sobre o assunto.
    Creio em Deus. Penso, realmente que Ele exista, mas certamente não detem todo o poder!!!
    Veja, que crer na sua existência não exclui a descrença ou crença às suas limitações.
    Sim, estou a dizer que Deus é limitado.
    Ora, no mínimo seus limites encontram resistencia no livre arbítrio que Ele próprio, em tese, deu ao homem e não é demais pensar dessa forma, eis que seria até mesmo contraditório a esse Deus “dar” e “tomar” ou “Impedir” o exercício desse livre arbítrio quando bem lhe conviesse. Fosse assim, porque motivo haveria de conferir o LIVRE e IRRESTRITO direito de escolha entre o bem e o mal.
    Significa dizer que Deus, a parte toda a sua benevolência não pode impedir a maldade proporcionada, maculada e exercitada pelo homem!
    Assim, torna-se óbvio e mais que explicado o real motivo de tantos crimes que diuturnamente são praticados pelo homem: É porque Deus não tem o poder de impedir!
    Ora, não estou a dizer que Deus não proteja ninguém contra todos os males. Efetivamente, Deus pode proteger: Contra um raio, uma queda, um eventual acidente de trânsito… Mas não de um homicídio!
    O caso Isabela é a prova disso!!!
    Não creio e sequer imagino que Deus possa ter compactuado com tamanha maldade contra aquela criança pura e indefesa… Me torna mais aceitável, portanto, pensar que Ele – Deus, foi, naqueles instantes finais da menina, IMPOTENTE para interferir no livre arbitrio do algoz .
    É isso!

    Forte abraço!

  20. Prof. Paulo Queiroz… reconhecendo a falha, mas em tempo para a necessária correção…
    Refiro-me ao Deus “conhecido” pelo cristianismo!

  21. Que importam os rótulos (cristão, ateu, evangélico, budista etc.)? o texto fala de amor, tolerância, respeito à diversidade! Essa, sim, é a questão fundamental, pouco importando a religão que professem.

  22. Se certas pessoas não fossem tão bitoladas,enxergariam que esse texto do Professor Paulo Queiroz é na verdade pró-religião pois não critica a crença em divindades mas sim o dogmatismo religioso que cega milhares de pessoas e que acaba as transformando naquilo que abominam:em ateus.Tanto que que o ilustre professor cita que acreditaria num Deus puro livre dessas idéias preconceituosas,egocêntricas,mesquinhas,ambiciosas e tirânicas.
    Concordo com Nietzsche:não há fatos,mas há apenas interpretações e essa foi a minha.

  23. NOBRE ESPECIALISTA, MESTRE, DOUTOR, JURISTA E CIENTISTA DO DIREITO, PROFESSOR PAULO QUEIROZ.

    Nego ser católico, candomblecista, umbandista ou qualquer coisa que o valha. Da mesma maneira que não sou congregado a nenhuma igreja evangélica. Sendo esta falta de celebração e declaração de compromisso, terreno perigoso e movediço. Vossa construção textual nunca passa despercebida. De forma que tal expressão em que pretendes traçar parelo entre Jesus Cristo e Nietzche é dígna de uma obra prima. Literariamente. Sem diminuir, nem acrescentar.
    Cumpre notar e anotar, porém, que o nobre e respeitável professor, parodoxalmente,enaltece a figura de Nietzche em detrimento da soberania de Cristo. Convoco-te a retroagir no tempo, transportando-se até a infância, verificando a partir de quando começaste a questionar a onisciência, onipotênca e onipresença de Deus. Corre-se o risco da vaidade do saber destrruir toda a vossa contribuição em melhorar o mundo. Porque o vejo assim. Nobre, grrandioso e magistral. Longe do rótulo da mediocridade e daqueles que pretende, somente, ser um combativo advogado, um magistrado justo, um diligente procurador, um sábio orador ou excepcional doutrinador.
    com tamanha sapiência, é possível dar a exegese que quiser ao artigo do direito ou verso da bíblia, isoladamente. Porém, não podemos jamais esquecer, que o que caracteriza e marca Jeus Cristo é a simplicidade e humildade com que lavou os pés de juda. Gesto, igualmente humilde, quando cura a mulher do fluxo de sangue ou da vista ao cego Zaqueu, proclamando que quem os curou foi a fé que estes possuiam.
    Enfim, se formos a antiguidade das metáforas de Epicuro, encontraremos sábias e reflexivas palacras que dirão: ¨QUANDO TE ANGUSTIAS COM AS TUAS ANGÚSTIAS, TE ESQUEÇES DA NATUREZA; A TI MESMO TE IMPÕES INFINITOS DESEJOS E TEMORES¨
    ENTÃO QUEM OBEDECE À NATUREZA, E NÃO ÀS VÃS OPINIÕES A SI PRÓPRIO, SE BASTA EM TODOS OS CASOS. COM EFEITO, PARA O QUE É SUFICIENTE POR NATUREZA, TODA A AQUISIÇÃO É RIQUEZA, MAS, POR COMPARAÇÃO COM O INFINITO DOS DESEJOS, ATÉ A MAIOR RIQUEZA É POBREZA” .

    Por último, lembremos de Salomão quando chega a velhice. Naturalmente, após passar por inúmeras experiências e jovem e adulto. Assim somos nós, que poderemos ter a nossa opinião modificada por Deus Javé. Mudança na qual passeremos a considerar, assim como Salomão filho de Davi:
    ” Vaidade de vaidades! É tudo vaidade.

    Respeitosamente.

    Rogério Lima (Acadêmico de Direito)

  24. Meu Caro Paulo.

    Apenas uma retificação nos cometários supra.
    Quando quis dizer Zaqueu, gostaria de ter dito Cego de Jericó.

    Considere.

    Rogério Lima.

  25. Caro Rogério: obrigado; na vedade, eu não quis comparar Nietzsche a Jesus, mas, para ser sincero, dizer o que penso sobre o assunto; o conteúdo do texto não é muito fiel ao título. Quanto a retoagir no tempo, eu nunca me identifique com religião alguma; e quando criança frequentei algum templo, achava tudo aquilo uma tolice e perda de tempo, exatamente como hoje. Em minha casa, a religão nunca foi levada realmente a sério, felizmente, e eventualmente criticada. Abraço.

  26. Faltou dizer que não tenho a pretensão (quanta vaidade!) de melhorar a humanidade nem ninguém; cada um tem de descobrir por conta própria seu próprio caminho; tomo a sério o lema Nietzschano: “torna-te quem tu és”!.

  27. Caríssimo Mestre.

    No momento em que o leitor concorda ou até discorda das tuas colocações, creio eu, que isto é maneira óbvia de melhorar o mundo. Intencionalmente ou não, tuas posições me melhora.
    Falo neste sentido. Tantos bons profissionais operadores do direito que não conseguem difundir seus pensamentos.
    Ao contrário de ti, que é cidadão do mundo manifestamente.

    Isto é bom e salutar. Muito Obrigado.

    Rogério Lima.

  28. Dr. Paulo, o Sr. não pode pretender generalizar suas opiniões pessoais como se fossem verdade universal. Para mim, a religião sempre foi importantíssima e também para muitos seres humanos, no Brasil e fora dele.

  29. Caro Raimundo: eu não disse o contrário. Reconheço que, para muita gente, a religião é necessária, importante. Mas não para mim. Lembro que o direito de crer implica também o direito de não crer. Vc tem o direito de acreditar no que quiser ou fingir que acredita, se isso lhe faz bem. E eu o direito de não tomar como verdade o que é um dado cultural, como as linguas, variavel no tempo e no espaço. Cada um interpreta o mundo conforme as suas necessidades. Pessoalmente não tenho necessidade de crer naquilo que vc crer ou diz crer.

  30. Pensar nos judeus, por exemplo, sem o judaismo e simplesmente impossivel, a revelar quao importante e a religiao especialmente para este povo

  31. Ótimo texto, não obstante, cabe ponderações, pois:

    Todo Ateu também é um crente, pois crê, piamente, que não há Deus algum. Coerente seria, o que duvida.

    Quanto ao suposto Deus permeado de defeitos, cabível a afirmação de Blaise Pascal: “Deus fez o homem à sua semelhança, e o homem em retribuição, fez Deus à sua imagem.”

    Na verdade a fé é uma mescla de razão e incoerência. E a minha está claudicante há um tempo. Paulo Rezende

  32. Me impressiona o tamanho do ego dos “crentes”. Sua grande motivação é serem “os escolhidos”, e se julgarem superiores aos demais, mesmo sabendo que não foram escolhidos, e sim, escolheram…
    Também é verdade que o coerente é a dúvida, aquela que é considerada mãe da perdição humana, da desobediência primeira, provar do fruto proibido, que não por acaso era da árvore do conhecimento.
    O objetivo dos criadores, ou ao menos dos que predominaram na criação e propagação do judaísmo e seus derivados, é o controle das massas, poder!
    Ateus são normalmente crentes na inexistência de Deus, também não conseguem duvidar de tal inexistência. Os crentes possuem uma dúvida tão gigante que os leva a afirmar desmedidamente sua crença. Quem esperimentou a existência de Deus não tem que afirmá-lo, pois não há espaço para a negação, deixa esta para os demais; não precisa convencer a ninguém como meio de tentar o impossível, convencer a si mesmo…
    Recomendo uma tentativa de ruptura com a mente e seu dualismo: olhem um pouco para o oriente, Budismo, tauismo. e leiam “O Poder do Mito” e assistam “Waking Life”.
    PS: aos crentes que postaram aqui um monte de citações da bíblia: leiam outra coisa, mesmo que não gostem, não concordem, saibam debater em outros “terrenos”, e sem apelar para uma autoridade que os demais não reconhecem _ caso contrário, o discurso de vocês continuará vazio…

  33. Como crente posso pedir desculpas em nome daqueles que não entendendo os ensinamentos bíblicos só tem comtribuído para que os que não conhecem a Deus, através de uma experiência pesoal, cada vez mais se afastem da verdade, que é Cristo, que segundo a bíblia é o único meio do homem chegar a Deus. No novo testamento, Jesus, através de seus ensinos, em nenhum momento estimula a intolerância e violência, ou mesmo qualquer sentimento de superioridade em relação àqueles que não têm abraçado o evangelho. Pelo contrário, nos ensina a ser-mos seus imitadores, no modelo de suprema humildade como nos mostra o apóstolo Paulo em Filipenses 2:5-8 “Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
    pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.” o verdadeiro crente é humilde. O próprio Jesus nos ensina a amar os nossos inimigos, que não é esse o caso do ateu, pq na realidade individualmente, o ateu não se apresenta como meu inimigo, e também bendizer e orar pelos que nos persegue, “para que vos torneis filhos de Deus” Mateus 5:43-45. Numa ocasião em que Cristo enviou seus díscípulos pregarem o evangelho, orientou-os a saudá-los com a paz, se porem não a quizessem receber, a paz voltaria para eles. Também nessa ocasião instruiu pra que se alguém não recuzasse abraçar a fé, que os discípulos batessem o pós de seus pés, devendo aquele ato, ser entendido, como sinal de num juízo vindouro (nós cremos nisso)de que tais discípulos não levariam a culpa de não terem falado de Cristo aquelas pessoas. No mais a palavra de Deus nos exorta pra que, no que for possível amim, que eu faça (e viva) a paz com todos os homens.
    É lamentável que por causa de alguns infiltrados em nosso meio, tem passado uma imagem errada do verdadeiro filho de Deus.
    Como crente em Cristo Jesus, e crendo verdadeiramente que ele voltará e exercerá soberanamente seu juízo, o único sentimento que sinto é justamente, em amor, semelhante ao demonstrado por cristo na cruz, sofrer por aqueles que não aceitaram esse amor oferecido, e jamais, jamais, expressar, prazer e satisfação, pelos que, segundo minha crença na verdade, entrarão em juizo e sofrimento eterno. O verdadeiro crente não se ensoberbece ao ser alcançado pela graça de Deus, mas é tomado por um sentimento pleno de gratidão, reconhecendo ser o mais vil e miserável de todos os homens, porem com a graça, vem a justificação de pecados tão somente através do mérito de Cristo na Cruz. E é a cruz que justamente é nosso motivo de louvor e gratidão.

  34. Para começar: o cristãos não é um tipo de ateu. Ser cristão denota em acreditar em CRISTO, o que contradiz o cristianismo deve ser desacreditado; não existe verdade contraditória.

    Seguindo este raciocínio. Eu ainda sou solteiro, em relação as outras mulheres q eu ainda não peguei; eu não torço para nenhum time de futebol, em relação aos outros q eu não torço. E assim vai…

    Dizer que a pessoa possui a religião X ou Y porque nasceu em uma sociedade Z ou Q, não faz sentido. Isso é uma falácia genética. SE formos olhar por esse lado, o ateísmo e o relativismo seria falso, se vc nascesse em um país onde o ateísmo e o relativismo dominasse.

  35. Prof. Paulo, navegando na internet encontrei esse seu texto e pensei: que visão limitada! Este tipo de afetação só está a demonstrar que realmente sabedoria não vem a mero reboque da idade. Amplie seu campo de visão urgentemente. Quando um sujeito supõe (com duas ou três linhas) ter desbancado dezenas de séculos do mais autêntico pensamento filosófico, o qual tem na eventual existência de Deus o tema mais debatido – e naturalmente jamais concluído – , ele está sendo desonesto, no mínimo.
    A começar pelo título bonitinho, mas que não guarda nenhuma relação com o teor do artigo: é razoável colocar em um mesmo plano Jesus e Nietzsche, para efeito de qualquer tipo de comparação? A história da humanidade foi para sempre marcada por Cristo; quanto a Nietzsche… mais um antropocentrista qualquer, convenhamos.
    Despropositado texto, que revela franca ignorância de seu autor. Perdido, vacila entre criticar atos praticados por homens e confundi-los com atos divinos. Aufim, já nem se sabe se crê em Deus ou nos homens, pois menciona trechos bíblicos descontextualizados. Com acusações que remontam à idade média, insiste no lugar comum de se mencionar os feitos da inquisição e etc. Ora, já que se trata de comparações ridículas (como pretendia o título), compare-se absurdamente atos de mortandade praticados em nome do fim da religião, como o fez e FAZ EM PLENO SÉCULO XXI, o marxismo cultural: especial bandeira ateia, que precisa varrer a crença religiosa do mundo. Associe-se aos seus camaradas ateus, mas ciente de que os Gulags “curam” qualquer trauma advindos de Noites de São Bartolomeu – que não foi uma Noite de Deus!
    Considere os regimes que perseguem cristãos; considere os princípios cristãos que influenciaram definitivamente a base da nossa sociedade ocidental; considere a instituição familiar; considere as contribuições para o lema da Revolução Francesa e para a redação da Constituição Americana. Hoje, V.Exa. usufrui dos benefícios de liberdade estampados nas Sagradas Escrituras. Acredita mesmo que esta ideia de liberdade provém do coração humano? V.Exa. bem sabe das atrocidade que seria capaz de cometer.
    E por favor, não seja mais religioso do que nós cristãos. Abandone a ideia equivocada que tem de Deus. Leia a Bíblia com imparcialidade e pare de achar que Deus é um templo milionário, construído de mármore em um ponto qualquer da cidade. Pare de lamentar da vida e veja que Deus não nos faz marionetes, mas nos dá liberdade de escolha. Não rebaixe Deus ao nível dos homens. Entenda o que significa soberania. Seu discurso (com o de Nietzsche) endeusa o homem, e V.Exa. sabe das suas próprias mazelas. A continuar ignorar a causa primeira das coisas, o ateu constrói um edifício sem fundação. O que, afinal, V.Exa. tem vontade de praticar que culminaria em sua condenação eterna? Estou certo de que se investigar, por si mesmo, o Deus da Bíblia, vai encontrar no Velho Testamento uma construção que, apesar de aleatória, aponta irremediavelmente para a Nova Aliança, a qual é boa, e nenhum mal poderá encontrar.
    Com efeito, é da natureza da vida em sociedade buscar formas de pôr-se freios nos indivíduos. Crês em que? Ditadura? Democracia? Leis? Estado? Educação? Alguns encontraram na Bíblia este freio, e acredito mesmo que V.Exa. se beneficie disso. Mas não é de controle social que trata a Bíblia.
    Portanto, ao invés de choramingar dizendo “buá, não pedi pra ser criado, não é justo eu ir pro inferno”, conheça o Deus que V.Exa. se comprometeu a crer no 13º parágrafo de seu texto.
    Ao contrário de V.Exa., que usa da Bíblia para elaborar sua crítica, não a invoquei em nenhum momento para me pautar aqui, diante do seu (atual) desprezo para com ela. Leia-a com olhos menos embrutecidos; busque investigar os motivos que levam a fé a crescer. Mártires existiram, e apesar de todas as investidas, algo faz com que este livro nunca caia em desuso. Verá surpreso que Jesus combate a religiosidade, oferecendo com justiça uma oportunidade individual para que você se aproxime das coisas espirituais. Estou certo de que seu coração se aquecerá!!

  36. Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.
    Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos,
    Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,
    Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus,

    2 Timóteo 3:1-4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *